VIAJANDO NO TEMPO...e no espaço!

Novembro 28 2009

 

Recordando a queda do Muro de Berlim e o fim da “Guerra-fria”
 
A construção do Muro de Berlim (13-8-1961)
 O Muro de Berlim foi um obstáculo físico construído pela RDA (República Democrática Alemã) durante o período a Guerra-fria, que dividia a antiga (e actual) capital alemã, entre Berlim Ocidental e Berlim Oriental. Este Muro, além de dividir a cidade de Berlim ao meio, cortando praças e avenidas, simbolizava a divisão do mundo em dois blocos antagónicos: dum lado, o mundo capitalista ocidental, pluripartidário e democrático, com a sua organização militar defensiva – a NATO, do outro, o mundo socialista, também com a sua aliança militar – Pacto de Varsóvia.
Este Muro foi edificado na madrugada do dia 13 de Agosto de 1961 e tinha as seguintes características: 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas, do lado Leste e 255 pistas para cães de guarda. Este Muro, também chamado da “vergonha”, provocou a morte de pelo menos 80 pessoas identificadas, 112 ficaram feridas e milhares delas foram presas quando o tentavam atravessar.
No fim da década de 1980, no entanto, a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) – segunda potência mundial e líder do Bloco Socialista – vivia uma situação complicada em termos económicos e sociais. A economia estava estagnada, o governo tinha pouco respeito pela qualidade de vida da população, os investimentos estatais eram quase exclusivamente no sector militar. É neste contexto que chega ao poder Mikhail Gorbatchev (1985) que adopta a “Glasnost” (transparência posta na promoção da liberdade de expressão) e a “Perestroika” (reestruturação da economia baseada no estímulo à iniciativa privada). Mas a URSS sofreu um verdadeiro colapso: faliu economicamente, abdicou do regime político e acabou por se desmembrar, com a independência das antigas Repúblicas Federadas.
No final de 1989, mais concretamente após a queda do Muro de Berlim, no dia 9 de Novembro de 1989, a Europa de Leste acompanhou as mudanças políticas da URSS. Assim, a Hungria, a Polónia, a Checoslováquia, a RDA, a Roménia, a Bulgária, a Jugoslávia e a Albânia, abandonam em definitivo o antigo paradigma político de matriz marxista-leninista. De um modo geral, estes países passaram a realizar eleições livres, abandonaram o regime político das quatro décadas e meia anteriores e adoptaram a economia de mercado.
 
Um pedaço do Muro de Berlim em Fátima e, ao lado, uma lápide com a seguinte inscrição: «Muro de Berlim / Levantado em 1961.08.13 / Derrubado em 1989.11.09 / Obrigado celeste pastora / por teres guiado / com carinho maternal / os povos / para a liberdade! / (João Paulo II em Fátima 1995.05.12)»
  
Para o Santuário de Fátima, terra de uma mensagem que valoriza a paz e a concórdia, veio um pedaço do “Muro de Berlim” para que não nos esqueçamos do sofrimento que vivenciaram as pessoas que sentiram, mais de perto, o clima de “Guerra-fria” e para nos lembrarmos de outros “Muros”, físicos e psicológicos, que dividem os homens, quando tudo os devia unir. Efectivamente outros “muros” persistem em manter-se de pé, no Médio Oriente, entre o Norte e o Sul, e, também no interior de cada país, entre os que tudo têm e aqueles a quem tudo falta.
20 anos depois do derrube do Muro alemão, no passado dia 9 de Novembro, Berlim reviveu o histórico acontecimento, voltando a viver uma Festa de Liberdade, partilhada por uma multidão de pessoas que não esquece a realidade anterior a 1989 e por dezenas de líderes políticos de todo o mundo. Enormes peças de dominó, simbolizando as pesadas secções do Muro que durante quase 30 anos dividiu a capital, caíram umas após as outras, quando o ex-Presidente da Polónia, Lech Walesa (também ele uma figura incontornável da luta pela liberdade na Europa de Leste) empurrou a 1.ª, de muitas que tinham sido previamente colocadas numa distância de um quilómetro e meio, frente à Porta de Bradenburgo. Cerca de 100 mil pessoas, resistindo a uma chuva intensa, aplaudiram o gesto como há 20 anos se mostraram eufóricas quando se derrubou o Muro que representaria o fim do comunismo na Europa e o fim da Guerra-fria no Mundo.
publicado por viajandonotempo às 11:48

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27

29
30


ÍNDICE DESTE BLOG:
arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Tags

todas as tags

pesquisar
 
mais sobre mim
contador
blogs SAPO