VIAJANDO NO TEMPO...e no espaço!

Outubro 31 2012

A comemoração “envergonhada”

_____________________________________

 

 

Ainda está bem viva na nossa memória a celebração festiva do Centenário da República, há apenas dois anos, que ficou marcado por iniciativas que tiveram lugar um pouco por todo o país, independentemente da cor política de cada município. Bem dentro do espírito republicano, de há 102 anos atrás, o povo foi chamado à festa e participou, porque a vitória de 1910, só foi possível por ter representado a união de praticamente todo o povo, esperançado em melhores dias para os portugueses e para a sua Pátria, sobretudo quando os monárquicos quiseram voltar ao poder, com as violentas incursões de Paiva Couceiro ou a dramática Monarquia do Norte.


  5 de Outubro de 2012 – fica para a história o içar da Bandeira com os castelos para baixo…

 

 

O triunfo da Revolução não foi fácil e estima-se que morreram nos confrontos de 4 e 5 de outubro de 1910 cerca de 200 pessoas. A sua iniciativa ficou a dever-se, conjuntamente, ao Partido Republicano, à Carbonária e à Maçonaria. Entre os operacionais da Rotunda, o destaque vai para o Comissário Naval Machado Santos, considerado, por isso mesmo, o “pai da República” que está para o “5 de Outubro” como Salgueiro Maia esteve para o “25 de Abril”.

A decisão de se dar início à Revolução foi tomada cerca das 20 horas do dia 3 de outubro, quando José Relvas se dirigiu, com cerca de 50 revolucionários, militares e civis, à Rua da Esperança, 106, 3.º andar, não muito longe da atual Praça do Município. Reunidos em casa do advogado republicano Eusébio Leão, ficou decidido começar a Revolução à 1 hora da madrugada de 4 de outubro. Cândido dos Reis terá afirmado: “A Revolução ou se faz esta noite ou não se faz!». A Comissão de Resistência reuniu-se nessa mesma noite no Centro de S. Carlos, e ficou definitivamente resolvido que a Revolução se iniciasse no dia 4 de outubro à uma da madrugada.

E depois, apesar de alguns momentos de hesitação, a verdade é que a Revolução se fez e o povo português veio para a rua, regozijar-se com o êxito, confirmado na manhã do dia 5 de outubro, quando o novo regime foi solenemente proclamado por José Relvas à multidão que se juntou na Praça do Município, em Lisboa. Em quase todos os outros concelhos do país, nos dias seguintes, se repetiu a proclamação da República sempre com a presença de muito povo e manifestações de alegria e de festa.

É por tudo isto que as últimas decisões do poder político acerca da comemoração do 5 de Outubro são uma vergonha.

A primeira decisão crítica foi a de abolir este feriado nacional. O atual regime é uma República, a Bandeira e o Hino nacionais nasceram com ela; o povo não pode esquecer que a República significou a politização do povo, ou seja, a chamada do povo à co-responsabilidade da gestão da “coisa pública”. Mas se alguns portugueses mantêm o gosto pela folclórica monarquia, também para esses, como para todos os portugueses, o 5 de Outubro, mas de 1143, é data importante porque marca o início oficial da portugalidade, com a assinatura do Tratada de Zamora, entre D. Afonso VII e, seu primo, D. Afonso Henriques. Assim, o 5 de Outubro é duplamente importante para a memória coletiva do povo português! Como se pode terminar com o feriado do dia 5 de Outubro, um dia tão importante para a História da nossa Pátria? Porque não se há-de continuar a lembrar festivamente a data do Tratado de Zamora, que marca o início de Portugal como Reino independente? Porque não se há-de festejar, com o povo, o triunfo da República?

A última decisão errada foi comemorar o “último” 5 de Outubro, ainda como feriado nacional, às escondidas do povo, no “Pátio da Galé”, um novo espaço nos corredores do poder, junto ao Terreiro do Paço! O 5 de Outubro e a República significam que numa democracia é o povo, previamente instruído e politizado no seu todo, que detém o poder, não aqueles em quem ele delega temporariamente esse poder.

Neste 5 de Outubro, que começou com humilhação de se hastear a Bandeira Nacional às avessas, quando o povo tanto precisava de “falar” com os seus políticos, foi-lhe vedado o poder de dar opinião, de transmitir recados diretos aos seus governantes, de dizer que começa a chegar o momento de dizer basta. Basta de aumentar impostos, basta de continuar a privilegiar os poderosos, é tempo de refletir sobre a situação real que já é dramática para muitos. O povo português é o “melhor do mundo”, é verdade, mas também já é tempo de que o povo mereça dizer o mesmo dos seus políticos!

 

 

publicado por viajandonotempo às 22:51

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


ÍNDICE DESTE BLOG:
arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Tags

todas as tags

pesquisar
 
mais sobre mim
contador
subscrever feeds
blogs SAPO